LEISHMANIOSE TEGUMENTAR AMERICANA: MECANISMOS IMUNOLÓGICOS, TRATAMENTO E PROFILAXIA

Roberta Olmo Pinheiro

Resumo


Atualmente, a leishmaniose afeta aproximadamente 12 milhões de pessoas, em 88 países (WHO/TDR, 2003). Somente a flebotomíneo fêmea transmite o protozoário, infectando-se com os parasitas contidos no sangue que ela suga do hospedeiro humano ou outro mamífero. As leishmanioses são importantes em termos de morbidade e algumas são severas em termos de mortalidade(MAYRINK & MAGALHÃES, 1999). No homem, a doença ocorre em quatro formas clínicas principais: cutânea, mucocutânea, difusa e visceral. A forma visceral é a mais grave da doença e pode causar febre, perda de peso, hepatoesplenomegalia, hipergamaglobulinemia, chegando a ser fatal, se não for tratada (MODABBER, 1993). Já as formas tegumentares, são causadas principalmente por Leishmaniamajor e L. tropica no Velho Mundo e por membros dos complexos L. mexicana e L. braziliensis no Novo Mundo (BERMAN,1997).

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2014 Infarma - Ciências Farmacêuticas

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Conselho Federal de Farmácia - CFF

SHIS QI 15 Lote "L" - Lago Sul - Brasília - DF

CEP: 71635-615 - Fone: (61)3878-8751

e-mail:infarma@cff.org.br

Infarma-Ciências Farmacêuticas

ISSN - 2318-9312 (Versão eletrônica)

ISSN - 0104-0219 (Versão impressa)

 

Indexadores: