ADESÃO DO HIPERTENSO AO TRATAMENTO FARMACOLÓGICO: DESAFIO DE MÉDICOS E OUTROS PROFISSIONAIS DE SAÚDE

Ana Cláudia Lelo, Elâine Cunha Doring, Érica Marques Silva, Lilian Ignêz Montanari Toretta, Luciane Cruz Lopes, Roberto Valdés Puentes

Resumo


Atualmente, a hipertensão arterial afeta mais de 50 milhões de norte americanos e o seu tratamento é o motivo mais comum das consultas médicas ambulatoriais. Aumenta a incidência de aterosclerose e consiste no principal fator de risco de infarto agudo do miocárdio, acidente vascular cerebral, insuficiência renal e outras doenças vasculares, responsáveis pela maioria das mortes nos EUA e em todo o mundo industrializado (1/2). Além disso, hipertensão é causa de cardiopatia hipertensão é causa de cardiopatia hipertensiva, etiologia comum de insuficiência cardíaca, causada pela sobrecarga de trabalho crônico imposta ao ventrículo esquerdo (3).

No Brasil, as doenças cardiovasculares contribuem com 34% da mortalidade e com 54% das mortes em indivíduos com idade abaixo dos 50 anos. Dados do Ministério da Saúde avaliam em 300 mil mortes/ano por doenças cardiovasculares, sendo 820, ao dia; 30, por hora, e um evento, a cada 2 minutos (2).


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2015 Infarma - Ciências Farmacêuticas

Licença Creative Commons
Este obra está licenciado com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional.

Conselho Federal de Farmácia - CFF

SHIS QI 15 Lote "L" - Lago Sul - Brasília - DF

CEP: 71635-615 - Fone: (61)3878-8751

e-mail:infarma@cff.org.br

Infarma-Ciências Farmacêuticas

ISSN - 2318-9312 (Versão eletrônica)

ISSN - 0104-0219 (Versão impressa)

 

Indexadores: